Faça o seu exame de Covid-19 no Bioanálises com segurança, rapidez e confiabilidade

Sobre a COVID

A Covid-19 foi detectada primeiramente em Wuhan, na China, em dezembro de 2019 e rapidamente se espalhou por todo o mundo, gerando uma pandemia global. Potencialmente grave e de elevada transmissibilidade, é uma infecção sistêmica, causada pelo SARS-CoV-2 (um tipo de coronavírus) e vai muito além de uma doença respiratória.

Recentemente, pesquisadores da Universidade da Califórnia, em San Diego, nos EUA, em parceria com cientistas do Salk Institute, afirmam que, embora seja transmitida por via respiratória, a Covid-19 é uma doença vascular. O estudo, publicado na revista científica Circulation Research, da AHA (Associação Americana do Coração), demonstra como o coronavírus Sars-CoV-2 pode afetar todos os órgãos do corpo.

Quais os sintomas da Covid-19?

Os sintomas, que podem ser de leves a severos, começam a ser percebidos entre o segundo e o 14º dia após a infecção.

Reunimos, abaixo, os sintomas mais comuns, que podem estar presentes isoladamente ou em diferentes combinações.

  • Febre ou calafrios; 
  • Tosse; 
  • Falta de ar; 
  • Fadiga;
  • Dores pelo corpo; 
  • Dor de garganta; 
  • Dor de cabeça; 
  • Coriza; 
  • Diarréia;
  • Náuseas; 
  • Perda de olfato e paladar

É importante lembrar que mesmo sem sintomas, uma pessoa pode estar infectada e transmitir para outros. O assintomático pode permanecer sem sintomas durante todo o ciclo do vírus. Os estudos mostram que a partir de dois dias antes do paciente iniciar os sintomas, ele pode transmitir o agente infeccioso.

Sintomas de COVID-19

Quais são as principais formas de transmissão?

A Covid-19 é uma enfermidade que se transmite prioritariamente pelas vias aéreas. A maior parte das pessoas que estão contaminadas podem transmitir o vírus, geralmente, dois dias antes de começar a perceber os sintomas e até 14 dias após o início dos sintomas, desde que o paciente não apresente mais a manifestação da doença.

O vírus pode ser contraído, principalmente, através de:

  • Gotículas de saliva;
  • Espirro;
  • Tosse;
  • Catarro;
  • Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
  • Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como saber se você está infectado pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2)?

Se você teve contato com alguém diagnosticado com Covid-19 ou sintomático, é importante ficar alerta e, preferencialmente, fazer um exame adequado para o seu caso. Lembre-se que, mesmo sem sintomas, você pode ser portador e transmissor do vírus.

Confira os diversos tipos de exames para detectar se você teve contato com o vírus e/ou se está em fase de transmissão:

Exames para detecção do coronavírus

Atualmente, o Bioanálises oferece os exames abaixo:

EXAME PERÍODO  TEMPO DE RESULTADO
Estou infectado? RT-PCR (swab) Entre 2º e 10º dia de sintomas Em até 24 horas
Estou infectado? RT-PCR para viagens Entre 2º e 10º dia de sintomas Em até 24 horas
Estou infectado? Antígeno  Entre o 2º e o 10º dia de sintomas Em 15 minutos
Já estive infectado? Sorológico anticorpos IgM e IgG A partir do 10° dia de sintomas ou contato para IgM e a partir do 20° dia para IgG. Se possível, esperar 20 dias para fazer os dois. Em 48 horas
Já estive infectado? Sorológico anticorpos IgA A partir do 10° dia de sintomas ou contato Em 48 horas
Já estive infectado? Imunoglobulina total A partir do 20º dia Em três dias úteis
Já estive infectado? Anticorpos neutralizantes A partir do 10º dia de sintomas ou, para maior precisão, indicado fazer após 30 dias depois dos sintomas ou 30 dias após a segunda dose da vacina Em três dias úteis
Já estive infectado? Teste rápido IgG e IgM qualitativo  A partir do 10° dia de sintomas ou contato sem sintomas O resultado sai em 15 minutos e o laudo em até um dia útil.

Detecção da Covid-19 pelo Método RT-PCR

Detecção da Covid-19 por Antígeno

Sorologia para Covid-19 IgA

Sorologia para Covid-19 IgM 

Sorologia para Covid-19 IgG

Anticorpos neutralizantes

Teste rápido – Covid-19 IgM e IgG

Você pode contar com o Bioanálises para realizar testes de diagnóstico e monitoramento da Covid-19. Para fazer testes sorológicos e demais exames de Covid em nossas unidades, ligue para a central de atendimento: (21) 2415.7164 ou (21) 3288.7625.  Para fazer o seu exame de Covid em casa, basta entrar em contato pelo WhatsApp: (21) 99570-8390, que também está disponível para tirar dúvidas. 

Quais as diferenças entre os exames de detecção do coronavírus?

Diferenças de exames COVID-19

Para avaliar qual teste deve ser realizado, é importante ter um acompanhamento médico. Ele indicará o tipo de exame mais adequado de acordo com os sintomas ou se o interessado no exame foi contactante de algum paciente com diagnóstico confirmado.

O tipo de teste indicado, seja para diagnóstico ou monitoramento, pode variar de acordo com o número de dias dos sintomas ou a data do contato com uma pessoa infectada. Confira os exames realizados para detecção do SARS-CoV-2 que o Bioanálises faz e suas indicações:

  • RT-PCR (swab) entre o 2° e 10° dia de sintomas. O resultado sai em até 24h;
  • RT-PCR para viagens – a mesma qualidade e método do RT-PCR, logística otimizada e ainda mais agilidade garantida no tempo para o resultado.
  • Antígeno – deve ser colhido entre o 2º e o 10º dia de sintomas e fica pronto em 15 minutos. Feito por imunocromatografia, o teste oferece maior agilidade de resultado, mantendo o desempenho satisfatório na fase precoce da doença. Utiliza apenas amostra respiratória (swab de nasofaringe). 
  • Sorológico anticorpos IgM e IgG a partir do 10° dia de sintomas ou contato para IgM e – a partir do 20° dia de sintomas ou contato para IgG. Se possível, esperar 20 dias para fazer os dois. Diferentemente do RT-PCR, a sorologia verifica a resposta imunológica do corpo em relação ao vírus. É realizado a partir da amostra de sangue do paciente. O nosso corpo desenvolve uma série de anticorpos pertencentes a diversas classes. Dentre eles podemos destacar os anticorpos da classe M (IgM) – que podem ser encontrados nas fases iniciais da doença e os anticorpos da classe G (IgG) – que indicam que já decorreu algum tempo desde a infecção e que a pessoa provavelmente desenvolveu imunidade contra a doença – o resultado sai em 48 horas;
  • Sorológico anticorpos IgA – a partir do 10° dia de sintomas ou contato – Também é realizado pela coleta de amostra de sangue e capaz de detectar uma classe de anticorpos produzidos pelo organismo contra o coronavírus, e o resultado sai em 48 horas;
  • Imunoglobulina total – a partir do 20º dia para maior confiabilidade no resultado. Este teste foi desenvolvido para detectar anticorpos totais contra a proteína N (nucleocapsídeo) do SARS-CoV-2, de pacientes com sinais e sintomas suspeitos de Covid-19 ou que possam ter sido infectados previamente pelo SARS-CoV-2 e reúne resultados referentes ao IgA, IgG e IgM. A pesquisa de anticorpos totais por este método utiliza o princípio de duplo antígeno para realizar a captura conjunta de todas as classes de imunoglobulinas anti-SARS-CoV-2 num único ensaio – resultado em três dias úteis;
  • Anticorpos neutralizantes – a partir do 10º dia de sintomas – a testagem possibilita saber se o paciente apresenta anticorpos protetores contra o novo coronavírus, seja por infecção anterior ou como resposta à vacina. Para maior precisão no resultado, é indicado fazer após 30 dias depois dos sintomas ou 30 dias após a segunda dose da vacina. O resultado é dado em três dias úteis;
  • Teste rápido IgG e IgM qualitativo – a partir do 10° dia de sintomas ou contato sem sintomas – o teste rápido aponta se a pessoa está contagiada ou não. Porém, não avalia a gravidade da situação –  o resultado sai em 15 minutos e o laudo em até um dia útil.

Onde posso fazer o exame?

O Bioanálises realiza testes de diagnóstico e monitoramento da Covid-19 em:

CAMPO GRANDE – Bioanalises – Rua Aurélio Figueiredo, 45 Loja A e B – (21) 3288.7625⠀- 2a a 6a de 7h às 17h – Sábado 8h às 12h.

ITANHANGÁ – CliniK – Estrada do Itanhangá, 483 – Sala 205 – Shopping Itanhangui Plaza – 2a a 6a de 7h às 12h – Sábado 8h às 12h.

BONSUCESSO – IMARJ (Diagnocenter) – Rua Cardoso de Morais, 61, Loja 313 Loja 314 Loja 315 (2ª, 4ª e Sábado 8 às 12h).

MADUREIRA – Diagnomed (Diagnocenter) – Estrada do Portela, 99 – Sl. 1014-ljs. 229/30 (3ª e 6ª feira – 8h às 12h).

TIJUCA – Diagnocenter – Rua Almirante Cochrane, 206 – (5ª feira – 8h às 12h).

Se preferir, solicite atendimento domiciliar em qualquer área da cidade do Rio de Janeiro. Consulte-nos em caso de atendimento em cidades vizinhas e demais localidades do estado do Rio.


Posso fazer o exame em casa?

Com o Bioanálises, você pode fazer o seu exame de Covid em casa. Disponibilizamos atendimento domiciliar, seguindo os protocolos de proteção e segurança para todos os envolvidos no processo, e assim realizamos todos os tipos de coletas, incluindo as relacionadas a Covid-19. Basta entrar em contato com a nossa equipe, que também está disponível para tirar dúvidas, e agendar a coleta em sua casa, pelo WhatsApp: (21) 99570-8390

A área de cobertura compreende toda a cidade do Rio de Janeiro. Consulte-nos em caso de atendimento em cidades vizinhas e demais localidades do estado do Rio.

Se preferir, você também pode fazer os exames em uma de nossas unidades.

Meu exame de Covid-19 deu positivo. E agora? 

Se o seu teste deu “detectado” ou “positivo”, mantenha a calma. Lembre-se que a maior parte dos casos têm manifestações brandas ou moderadas – tranquilidade e saúde mental em dia são fundamentais para a recuperação. Procure um médico, este será o seu ponto de partida, somente ele pode dar a orientação adequada. Para agilizar, caso precise, consulte a lista e clínicas parceiras do Bioanálises.

As orientações básicas são essas: mantenha o isolamento, repouso, consuma bastante líquido e monitore sua temperatura. Se apresentar um quadro com febre alta persistente (a partir de 37,8 Cº) ou sensação de falta de ar, busque a unidade de urgência mais próxima! 

A observação clínica indica que, na maioria das vezes, o paciente que evolui para a forma grave da doença tem uma piora importante do quadro geral entre o oitavo e 11º dia de sintoma.

Normalmente, recomenda-se observação e isolamento por 14 dias, contados desde o início dos sintomas do contagiado, bem como dos demais membros da mesma família. É conveniente que todas as pessoas que vivem na mesma residência façam o exame para monitoramento e, preferencialmente, todos devem ficar isolados dentro de casa e sem contato com o paciente confirmado.

Como fazer o isolamento dentro de casa para não contaminar a família? 

O isolamento domiciliar é uma exigência para quem testou positivo e é recomendado também em casos suspeitos. O período do afastamento requer cuidados específicos, como a separação de objetos pessoais, limpeza imediata dos banheiros após o uso e a separação de indivíduos em cômodos diferentes da casa. Tais cuidados reduzem, consideravelmente, a transmissibilidade do vírus.

Resumo das recomendações para casos suspeitos ou confirmados de infecção pelo novo coronavírus e para viajantes que chegam do exterior:

  • Sempre usar máscaras em ambientes compartilhados;
  • Itens pessoais devem ser de uso exclusivo;
  • Desinfetar regularmente áreas comuns;
  • Limpar imediatamente banheiros após o uso;
  • Se possível, o indivíduo com Covid-19 deve ficar isolado em um cômodo, com porta sempre fechada e janela aberta para garantir a ventilação e luz solar;
  • Se tiver um banheiro exclusivo para o infectado, melhor ainda;
  • Em domicílios com apenas um quarto, este deve ficar para a pessoa suspeita e os demais moradores podem dormir na sala, por exemplo;
  • Em moradias pequenas ou sem divisórias a recomendação é de afastamento de dois metros entre infectados e não infectados, e sempre usar máscaras (todos);
  • A pessoa isolada deve trocar a própria roupa de cama e embalar em saco plástico antes de lavar;
  • Mantenha uma lixeira ao lado da cama, com saco plástico.

cartilha orientacao coronavirus

Há tratamento para a Covid-19?

Não há tratamento, no momento, para a Covid-19. A recomendação mais valiosa é buscar um médico a fim de obter acompanhamento adequado, mesmo que apresente apenas sintomas leves.

Em casos mais severos, no hospital, é dado ao paciente um suporte intenso, de acordo com a evolução de cada um, inclusive com ventilação mecânica quando necessário.


Vacinas e precauções da Covid

Quais são as vacinas disponíveis para o novo coronavírus? 


Atualmente, estão disponíveis no Brasil, atendendo ao Programa Nacional de Imunização (PNI), as vacinas:


– Pfizer
– AstraZeneca
– Coronavac

FABRICANTE EFICÁCIA* NÚMERO

DE 

DOSES

TECNOLOGIA

UTILIZADA

Pfizer + BioNTech 95% 2 RNA mensageiro
AstraZeneca – Oxford 90%

(com 1,5 dose)

2 Vetor viral
Sinovac – CoronaVac 50,38% 2 Vírus inativado

* Eficácia segundo estudos clínicos


Há mais de um ano, pesquisadores de diversas nações desenvolvem experimentos e vacinas (são mais de 212 possibilidades) contra o novo coronavírus. Algumas dessas pesquisas resultaram em vacinas que foram testadas e aprovadas. Muitas estão em fase de desenvolvimento ou aprimoramento.

Hoje, no total, há 14 imunizantes contra a Covid-19 aprovados por outros órgãos no planeta, são eles:  o da Pfizer/BioNTech; da Moderna ; da Oxford/AstraZeneca; Sputnik V; Covishield; Janssen; Cansino; Sinophrarm (Pequim); Sinophrarm (Wuhan); Sinovac/Cornavac; Bharat Biotec/Covaxin; do Instituto Vector (Russia)/EpiVacCorona; Anhui Zhifei Longcom e a do Centro Chumakov/KoviVac,

Posso me contaminar mesmo vacinado? E transmitir?

Nenhuma vacina contra o coronavírus é 100% eficaz. Embora a imunização reduza bastante os riscos de contaminação – entre 50% e 90% – o indivíduo pode contrair o vírus e ficar assintomático ou ter sintomas leves, de acordo com os laboratórios fabricantes. Nesses dois casos, essa pessoa vacinada ainda é um transmissor do vírus.

Para todo potencial da vacina ser alcançado é necessário aguardar, em média, de 15 a 20 dias depois da segunda dose – ou após a dose única no caso do imunizante da Johnson & Johnson, que no momento não está disponível no Brasil.

Mas isso não quer dizer que a pessoa imunizada possa sair por aí aglomerando e sem máscara. Os cuidados com higiene, distanciamento e o uso de máscara devem permanecer.

Existem centenas de mutações e cepas diferentes do novo coronavírus e as vacinas podem não ter uma eficácia tão boa como esperada ou mesmo não gerar a resposta imune neutralizante daquela mutação. Os estudos e pesquisas não param e é preciso seguir as orientações, atualizadas, do Ministério da Saúde e da OMS.

É possível pegar o coronavírus mais de uma vez?

As reinfecções por coronavírus ainda são um assunto polêmico. De acordo com dados do Ministério da Saúde, até 5 de abril de 2021, apenas oito brasileiros tiveram confirmado um segundo diagnóstico de Covid-19. No mudo todo, na mesma data, acumulava-se 69 registros de reinfecção – dois deles com óbito.

Os números parecem raros e sugerem uma subnotificação, uma vez que há relatos conhecidos mas não estudados de pessoas que se infectaram mais de uma vez com mais de três meses de diferença entre uma e outra infecção. Existe a possibilidade real de uma pessoa permanecer com o vírus no corpo por alguns meses, mas sem manifestação da doença, que pode adoecer com uma queda na imunidade, por exemplo.

Além disso, é necessário realizar o sequenciamento genético do vírus nas duas ocasiões em que ele invadiu o corpo. E não é qualquer lugar que faz esse teste: estima-se que apenas 0,03% dos casos da Covid-19 passem por esse processo no Brasil. 

Para ser enquadrado como reinfecção, o caso ainda deve preencher outro critério: o paciente precisa ter dois resultados positivos pelo exame de RT-PCR. Por isso, levando-se em conta as possíveis subnotificações, estima-se que os casos de reinfecção possam chegar a 15% dos casos totais.

Diante desse cenário, mesmo que uma pessoa já tenha vencido o vírus uma vez, é recomendada a permanência dos cuidados como: distanciamento, uso de máscara, higienização das mãos e superfícies de contato, entre outros. O mesmo vale para os vacinados.

 

Faça a sua parte

Diante da falta de remédio específico e de vacina suficiente para todos os indivíduos, a população desempenha papel relevante; o esforço de cada um é fundamental para a contenção da Covid-19. A pessoa não deve apenas se proteger, mas também ser responsável pela não-contaminação dos demais.

Como boa parte dos casos da Covid-19 são assintomáticos ou têm sintomas leves, não dá para apostar no “eu estou me sentindo bem, estou em casa há mais de quatro dias, não tenho nada”. As regras são as mesmas para todos, faça a sua parte.

Como posso me prevenir? 

Prevenção Covid-19

Basicamente, o que pode fazer para se prevenir é:

  • Usar máscara;
  • Lavar as mãos com sabão ou álcool 70º;
  • Manter uma distância segura;
  • Não tocar nos olhos, no nariz ou na boca;
  • Evitar aglomerações;
  • Sempre que possível, ficar em casa.

Quais os locais com maiores chances de transmissão?

Confira o ranking com os locais de risco aumentado para transmissão da Covid-19; lembrando que nenhum lugar é totalmente seguro. A lista abaixo começa com o maior risco.

  1. Hospitais;
  2. Transporte público;
  3. Bancos/lotéricas;
  4. Elevadores;
  5. Cinemas e teatros;
  6. Academias;
  7. Supermercados;
  8. Feiras livres;
  9. Restaurantes;
  10. Consultórios médicos;
  11. Drogarias;
  12. Vias públicas;
  13. Veículos particulares;
  14. Casa.

Como ficar protegido em transporte público?

Caso precise usar o transporte público coletivo, ao entrar e sair de um ônibus, metrô ou trem, a dica é, além de vestir a máscara, sempre estar com as mãos higienizadas com álcool 70º. Quanto à máscara, se possível, use um modelo da PFF2 (N95) sem válvula, que é uma das mais eficientes para filtragem do ar, sendo inclusive usada pelos médicos nos hospitais.

O vírus não infecta as pessoas pelas mãos. Mas se tocarmos uma superfície contaminada e levarmos a mão à boca, nariz, olhos, as chances de infecção são grandes. Se possível, mantenha uma distância de 2 metros das pessoas e evite horários com conduções lotadas. Quando retirar a máscara, tenha cuidado e retire-a pelas alças, não toque na parte da frente. Ao voltar para casa, tome banho, lave a cabeça e troque de roupa. Mantendo, assim, o seu ambiente livre da possibilidade de contaminação.

Qual a importância de usar máscara?

O uso de máscaras é importante como medida de proteção tanto para você mesmo quanto para as pessoas ao seu redor. As máscaras funcionam como uma barreira física para a liberação dessas gotículas no ar quando há tosse, espirros e até mesmo durante conversas. Elas podem ser descartáveis ou reutilizáveis após lavagem e higienização adequada.

Para maior proteção opte por usar máscaras filtrantes, as famosas PFF2 (N95). Elas, quando bem ajustadas à face (sem folgas), proporcionam maior eficácia do que as máscaras de pano e as cirúrgicas. Caso não tenha uma PFF2, use duas máscaras, pode ser uma cirúrgica e uma de pano por cima, por exemplo.

Fique atento – durante a pandemia, não use máscaras com válvulas. Isso porque a válvula de exalação serve para facilitar a saída de ar. Nessa saída, entretanto, se a pessoa que está usando a máscara estiver contaminada com o vírus, ela pode expelir partículas virais, ainda que em pequena quantidade, e infectar outros indivíduos. Ou seja: a PFF2 com válvula protege a pessoa que está usando, mas não as que estão ao redor.

Qual a importância do distanciamento social no combate ao novo coronavírus?

O distanciamento social protege você e outras pessoas do coronavírus e é essencial em lugares fechados, filas e outras situações. Ele não impede o contágio, mas dificulta. Os estabelecimentos recebem indicações de lotação máxima, as quais devem ser obedecidas com bastante rigor.

A regra dos dois metros foi originalmente desenvolvida quando se acreditava que a transmissão da Covid-19 ocorria apenas por meio de gotas mais “pesadas” projetadas pela boca e nariz durante a fala, tosse e espirros. No entanto, atualmente, já se considera a possibilidade de contágio por aerossóis, que são partículas menores e leves que permanecem no ar durante mais tempo.

O distanciamento associado ao correto uso de máscara, curta permanência em locais fechados e estar em ambientes sempre ventilados reduzem os riscos de contágio, mas não é uma garantia devido aos aerossóis.

Animais de estimação podem ter coronavírus?


Cães e gatos podem contrair um coronavírus próprio de suas espécies. E o coronavírus dos pets nada tem a ver com a Covid-19. Além disso, o coronavírus dos pets não é transmitido para o ser humano.
Embora possamos ficar tranquilos em relação a isso, é preciso lembrar que, por se tratar de uma nova doença, devemos acompanhar o que as pesquisas de órgãos sérios estão desvendando.

Agora, se o tutor pegar a doença, o pet não deve ficar em sua companhia durante o isolamento até superar o vírus. A orientação atual é clara: pessoas infectadas pelo coronavírus devem ficar isoladas e adotar medidas para não não transmitir a doença a seus familiares, e um animalzinho, mesmo não absorvendo o vírus, pode ser uma ponte (um veículo) para que o vírus chegue a outras pessoas.

Atualmente oferecemos os exames abaixo:

Detecção por COVID19 – Método RT-PCR
Detecção por RT-PCR COVID19 – Método GenExpress
Antígeno | COVID-Ag
Sorologia para COVID19 IgA
Sorologia para COVID19 IgMSorologia para COVID19 IgG
Teste rápido – COVID19 IgM e IgG

Exibindo todos 4 resultados